Seguidores

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Cultura do Coitadinho

É conhecido que no nosso país a cultura do coitadinho é imperante. Sempre temos que nos fazer de coitados para, no mole, ganhar alguma coisa. Sempre vemos na televisão, normalmente nos piores programas, as histórias de que alguém passa por dificuldades financeiras, tem muitas bocas para alimentar etc, etc... então o programa tal vai lhe presentear com roupas da loja tal, um dia de princesa não sei aonde, muitos brinquedos para o filhinho... Fico abismado como as coisas se encaminham, ou já estão encaminhadas mesmo, para ninguém trabalhar e ganhar sua vida normalmente. Temos a mania de achar a histórinha de dificuldade do amigo que está na televisão é diferente dos outros que estão na frente da tv. Todos nós temos problemas financeiros, familiares e de toda a ordem, por que temos que cultuar o choro descabido para receber alguma coisa. Meu pai trabalhou uma vida inteira( como todo mundo) teve três filhos e nunca sequer cogitou a hipótese de chorar pra que quer que fosse alguma coisa. Nunca usou a ameaça que usam hoje em dia de que "eu podia tá roubando tio, mas aqui pedindo uma ajuda pros meus filhos". Interessante isso. Tenho a impressão que trabalhar é até mais fácil de ganhar alguns trocados do que ficar pedindo, não entendo esse culto à vagabundagem. É a cultura do coitadinho cada vez mais forte em nosso país.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Mundos estranhos

Pois hoje estou escrevendo de uma dessas Lan houses ou seria lanrauses, bom o fato é que é uma coisa muita estranha escrever ao das pessoas, todas concentradas em suas atividades virtuais. Pela primeira vez aqui no meio desse "tumulto". Esquisito... pra dizer o mínimo.
Não esqueci do diário do professor público, vou, nas férias, atualizar esse diário com todas as histórias que me recordar, tenho convicção de que acharei pessoas que assistem diariamente aos mesmos problemas e aflições. Se não encontrar começarei a ficar assustado, não é possível que aquela situação seja única no Estado. Costumo dizer que aquele ambiente é um mundo à parte na nossa sociedade, mas procuro acreditar, lá no fundo, que isso não é uma verdade. Não sei se esse pensamento é bom ou ruim mas...
São dois mundos estranhos, esse da lan house e o do colégio em que trabalho.
Quando o diário entrar em ritmo mais acelerado entenderão do que falo. Até lá...abraço.

sábado, 8 de dezembro de 2007

na área, sem nada de especial para comentar. As coisas de sempre... continuo sem computador, etc.
Final de ano, festas natalinas por todo o mundo, os tais "amigos secretos" que, diga-se de passagem, não sou muito afeito. Essa coisa de passar o ano todo dando só bom dia e em alguns minutos ter que dar um presente e ainda por cima ter que falar sobre a pessoa é muito estranho, para dizer o mínimo. O pior é que se tu não entra na brincadeira é tido como azeite, chato, etc. Faz dois anos que eu passo por azeite, chato, etc na minha escola, mas resolvi seguir meus sentimentos, não vou fazer algo que me incomoda, constrange, sei lá, não me sinto à vontade, enfim...
Iniciei dizendo que não tinha nada de especial para comentar, até que saiu algo...