Seguidores

sábado, 13 de novembro de 2010

E Segue a Sina!!

Aconteceu no curso técnico de enfermagem Factum: um aluno insatisfeito com sua nota numa das provas realizadas, resolveu bater na orientadora educacional do curso.
Este tipo de situação já acontece há muito tempo nas escolas públicas deste país e não necessariamente por questões de avaliação. Basta um desentendimento entre as partes para explodir a violência desmedida.
No Rio de Janeiro também houve casos deste tipo em que a professora foi agredida a cadeiradas.
Um professor, se não me engano, da região central do país, explodiu em gritos por não aguentar a situação caótica da educação e de sua vida profissional. Outro professor jogou longe o notebook em uma palestra com alunos da faculdade.
Acumulam-se os casos de professores agredidos, enlouquecidos e afastados por problemas psicológicos do trabalho.
Sempre temos cursos de reciclagem, um atrás do outro,para melhora nosso nível profissional. Os discursos são inúmeros sobre a baixa qualidade da educação. Temos que qualificar os professores. Mas quando iremos qualificar nossos alunos? Temos que avaliá-los mas não podemos dizer qual sua real condição de aprendizagem pois sofremos ameaças de todos os lados, pais, aluno e Secretaria de Educação. Sim Secretaria de Educação também, pois se o percentual de reprovação é alto não é aceito, "não é possível" dizem os coordenadores.
Sei que chateio com seguidas escritos sobre o mesmo assunto mas fica difícil não falar sobre isso pois a educação se reflete na sociedade, ela é a base de tudo, significa o nível de desenvolvimento
do país. Economicamente nosso país deu um salto mas pela falta de educação técnica e moral, temos que importar mão de obra, somos mal vistos fora de nossas fronteiras, ao contrário do que pensamos, não sabemos votar, não pela escolha em si dos candidatos, mas como escolhemos os candidatos, enfim... sem a educação não somos nada!!
E segue a sina...
Enquanto as pessoas acharem que a escola está aí para acomodar seus problemas pessoais e não ensiná-los a resolver não chegaremos a lugar nenhum.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Vem aí novo curso de reciclagem!

Depois de algum tempo fora do ar por questões profissionais, além da minha própria preguiça, voltei a este humilde espaço.
Saiu o resultado do exame que a Secretaria de Educação aplica anualmente para os alunos de ensino médio. 85% dos alunos não atingiram a média e ainda assim ficou acima da média nacional.
Professores preparem-se: vem aí um novo curso de reciclagem! A culpa é nossa!!!
Dentro do mesmo assunto porém com outro enfoque, leio que falta mão de obra qualificada no mercado de trabalho. Nada mais natural, onde cai o nível de exigência educacional, cai o resto todo.
Alunos tem um processo de avaliação sofrível, não pode haver repetência, números mascarados para esconder o descaso com a educação só poderiam resultar nisso. Não existe pedreiro qualificado e nem engenheiros que preste pois todos estão muito mal preparados desde a base. E não adianta querer culpar o professor por tudo. temos uma parcela de culpa nisso é bem verdade. Mas é uma parcela o que querem é que nós levemos a culpa de tudo. Como já havia escrito antes, não temos mais que qualificar o professor e sim o aluno com um nível de exigência maior e com uma cobrança maior da participação da família e do estado nesse processo todo.
Enquanto isso tome reciclagem para dar alguma desculpa para a população.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Paul Mcartney em Porto alegre foi um show desse memoráveis.
Foi o que todos que conheço que foram ao show disseram. Não sou um fã ardoroso, ele nem faz parte do meu rol de cantores preferidos, mas uma explicação bem simples para esse sucesso todo surge muito facilmente: competência.
Ninguém fica durante meio século fazendo sucesso e arrastando multidões se não tiver competência.
É o que acontece com alguns poucos artistas que atravessam o tempo sempre vivos através dos seus fãs que passam para os seus filhos e netos. Com competência carisma e humildade. Sir Paul Mcartney deu um show de exemplo e competência. Será sempre lembrado. Lotará sempre os locais por onde passar.
Ou alguém acha que a "eguinha pocotó" lotará um estádio dentro de alguns anos? Aliás, graças a Deus, já foi esquecida.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Ao Mestre, com carinho.

Sabemos de todos os percalços pelos quais passam os professores para se formarem. Sabemos das dificuldades financeiras. Sabemos dos inúmeros casos de desrespeitos à profissão. Sabemos do cansaço mental e físico a que fica submetido o professor pela enorme carga de trabalho dentro e fora da escola. Sabemos de tudo isso. Mas por que continuamos?
Acima de tudo, ser professor está na alma da pessoa. Vem na genética dele ao nascer. É um filosofia de vida.Perseverança, esperança, obstinação. Procurar saber e distribuir o saber. Ajudar a descobrir novos caminhos. Plantar sementes sem esperar pelos frutos mas sabedor do que dará a árvore.
Isto e muito mais é ser professor.
Singelamente...Parabéns professores!!!
Humildemente... ao Mestre, com carinho!!!

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Monstros 2

Darei uma de Paulo Santana agora...conforme eu havia previsto neste humilde blog, Neymar não foi punido, vou repetir, Neymar não foi punido. Não venham querer me enganar dizendo que multá-lo em 30% dos vencimentos é multa porque não é. Dinheiro não é problema para esses jogadores.

Como sempre, ficará o péssimo exemplo da impunidade. O que acontece com o jogador santista ocorre há muito tempo nas escolas e casas de famílias. Crianças, adolescentes e jovens faltam com o respeito e educação e nada acontece. Aquele que quiser fazer alguma para educá-los é punido. Eles cometem o erro e pune-se quem quer a correção do erro

"Mas o rapaz pediu desculpas e foi multado, o que você quer?" Acontece que essa não é a primeira vez que esse rapaz e outros jogadores fazem o que bem entendem e nada é feito. O pedido de desculpas público foi uma medida cênica, muito mal feita, da direção para abrandar a situação.

É o que acontece nas escolas, medidas eufêmicas são adotadas para dizer que se fez alguma coisa, mas a intenção não é corrigir e sim propagandear.

Lamentável a demissão do técnico Dorival Jr., até onde sei ele não passou dos limites com ninguém. Já o monstrinho da Vila...

Não sei exatamente o que acontecerá com a equipe do Santos, mas provavelmente o grupo começará a ruir, espero que não, pois sempre sou a favor da coletividade funcionar, mas tenho a impressão que não.

Na nossa sociedade acontece isso, a vontade egoísta do indivíduo é beneficiada em detrimento do bem coletivo, e não é um discurso comunista, é a vida. Quando o coletivo não é levado em conta acabam ruindo as bases da sociedade.

Como disse e repito, lamentável a atitude da direção santista. Péssimo exemplo para a sociedade. Eu e René Simões estamos estarrecidos.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Da serie "frases de efeito"

Li no jornal uma postagem de alguém, que não me recordo, do tuíter:
"Sempre querem deixar um planeta melhor para os filhos.
Quando pensarão em deixar filhos melhores para o planeta?

Monstros

Ontem, rodada do brasileirão, aniversário do Grêmio derrotado pelo Palmeiras, goleada do Goiás. Tantos assuntos no futebol para falarmos, mas o destaque ficou por conta do "menino da Vila", Neymar, ou deveria dizer monstrinho da Vila?
Muito feliz a lúcida entrevista de René Simões, técnico do Atlético Goianense. "poucas vi alguém tão mal educado desportivamente"... "se ninguém educar esse rapaz estaremos criando um monstro no futebol".
Tenho apenas um reparo, que espero estar errado, o monstro já foi criado.
Desportistas de um modo geral são símbolos e ídolos, mas no futebol a dimensão é muito maior. Hoje em dia os grandes clubes possuem uma avançada estrutura na questão da assistência social e psicológica para jogadores, principalmente jovens. Os clubes já entenderam que precisam administrar a cabeça de jogadores que, num dia não tem passagem para ir de casa para os treinos, e no outro dia assinam um contrato em que podem comprar um apartamento por mês. Mas isso não impede que as coisas aconteçam como estão acontecendo com esse menino santista.
Não existe uma proteção para ele no sentido de blindá-lo( palavra do momento) contra a fama excessiva. Tentar explicar que o esporte é seu trabalho, seu ganha-pão( muitos pães) e que ele tem uma responsabilidade social. Agora, com 18 anos, isso será muito difícil, para não dizer impossível.
Pode parecer neurose minha mas não é. Isto é educação. Familiar e escolar. Como as duas estão perdidas, este menino, muito provavelmente, se perderá na poeira. Espero que não. Mas as diversas cenas que assisto desse rapaz são indícios de não terá grande futuro se não se acalmar. Sua desculpa é de que os adversários batem muito. Bateram no Pelé, no Zico, no Van Basten, no Platini, para ficar nesses, e nenhum deles desrespeitou seu técnico, sua torcida e nem seus fãs.
A diferença? Família forte, noções sólidas de respeito, importância devida aos estudos, entre outras coisas que deixamos de reverenciar faz muito tempo. Qual será a punição desse rapaz? Ou tudo é permitido porque ele é um craque?
Assim como o Neymar é um monstro negativo do futebol, muitas crianças estão por virar monstros na sociedade porque a família não assume seu papel. Ou pelo menos muitas famílias não assumem seu papel.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Frases

Da série "frases de efeito";
Um dos últimos samurais do Japão teria dito:

"Acredite em Deuses e Budas, mas não confie neles"

sábado, 11 de setembro de 2010

Neste dia 11 de Setembro, nos EUA, estão homenageando os mortos do atentado às torres gêmeas.
Já se falou tudo o que tinha de ser falado sobre este acontecimento horroroso.

O que se espera, sempre, é que fatos como este não se repitam, mesmo que de outra forma. Volta e meia escutamos um atentado à bomba aqui, um massacre ali, invasão e matanças entre outras loucuras que o comportamento humano produz.

Não sou nenhum religioso fervoroso mas acredito em instâncias superiores. Isto posto, não consigo entender e nem aceitar que loucuras como estas sejam feitas sempre em nome da religião, sempre utilizando-se do nome de Deus para justificar seus atos.

Da mesma forma que não cabe querer justificar invasão a outro país, massacre ao seu povo, colocando como desculpa questões econômicas ou, no caso específico dos EUA, procurando por armas químicas.

Até quando estaremos assassinando semelhantes com justificativa pífias, disfarçadas de justiceiras e redentoras? Até quando vamos mascarar a ganância? Até quando usaremos da religiosidade das pessoas para atender interesses próprios, sem pensar que deixamos crianças sem pais, mulheres sem maridos e maridos sem famílias?

O pastor Terry Jones queria queimar livros do Alcorão como protesto, como se a religião islâmica fosse a culpada, assim como o cristianismo não é culpado pelas mortes iraquianas que os EUA provocaram.

Meu velho pai, na sua sabedoria da simplicidade, dizia: não existe religião ruim, só homens ruins.

Espero que continuemos na busca do sonho de Lennon, imaginando ser possível um mundo sem guerras, onde todos realmente sejam iguais.

CHULA SHOW!!

quarteto total flex chula show

FOLCLORE - DANÇA CHULA (Danças Brasileiras)

GRUPO DE DANÇAS SEVILHANAS 3

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Todo mundo espera alguma coisa...

Essa frase da música cantada pelo Lulu Santos diz bastante. Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite, pelo menos até determinada fase da vida. No meu caso espero jantar com minha família, brincar com meus filhos, se eles deixarem, assistir algum filme, coisas comuns, simples e boas assim.
Na minha adolescência/juventude sempre esperava pelo sábado à noite, mas não sei se esperava alguma coisa dele. Acho que esperava mais de mim mesmo. Mais sabedoria, mais amizades, mais festas mais...
Acho que quando somos mais jovens sempre esperamos mais. Pena que não sabíamos que tínhamos tudo, mas a vida sempre dá um jeito de esconder da gente as coisas que já temos. e ficamos procurando, procurando...
Não sei qual foi o poeta que escreveu, e não sei dizer se foi exatamente assim que ele escreveu( por favor me ajudem) mas é algo assim:


"A felicidade é uma árvores de pomos dourados

Que sempre colocamos onde queremos

mas nunca a pomos onde nós estamos"

Enquanto não conseguimos, seguimos esperando alguma coisa de um sábado à noite...

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Capacitar professores?

Estou participando de um curso de capacitação de professores do magistério estadual. Isso mesmo... ca-pa-ci-ta-ção. Fico me perguntando: Será que isto está mesmo acontecendo comigo?
Neste curso, que ainda não findou, tivemos a primeira etapa de palestras com outros professores que não acrescentaram nada, mas pelo menos, trocamos experiências entre todos. Em uma segunda etapa, postamos projetos que idealizamos e realizamos nas escolas em que trabalhamos, em um site criado para tal. Numa terceira etapa apresentamos estes projetos para todos os professores de outras escolas. Neste ponto é que me veio a pergunta lá de cima do texto. Foram apresentados trabalhos sensacionais, e não foram criados apenas para aquele evento e sim faziam parte do cotidiano das escolas públicas. Projetos de dança, esportes, literatura, poesias, meio-ambiente, etc, etc. Vou repetir: professores do magistério estadual.
Por que falo desse modo? Porque estou cansado de tratarem professor público como arigó, como se não soubesse o que está fazendo no seu trabalho. Se disséssemos que aqueles projetos eram feitos em escolas privadas todos diriam "é que no ensino privado existe cobrança, por isso os professores trabalham" BALELA, nós trabalhamos tanto ou mais que os professores da rede privada, por um único motivo: na maioria das vezes são os mesmos professores.
Vi naquelas apresentações trabalhos dignos de prêmios, idéias maravilhosas, trabalhos feitos com competência, criatividade e dedicação. Por isso a pergunta do título: capacitar professores? Temos que capacitar os alunos, que cada vez menos são exigidos, pois podem prosseguir passando de ano sem sequer saber ler ou escrever direito. Tenho alunos de oitava série que mal sabem ler. Mas se chega uma lista com a maioria reprovada, o problema está no professor!! Então toca cursinho de reciclagem e capacitação no pobre professor, e o aluno que foi reprovado por não saber nada segue adiante, engrossando as fileiras de péssimos profissionais que sairão das universidades, pois ingressaram nelas através de vestibulares nebulosos que não tinham, sequer, uma redação para avaliar a capacidade deles. Eu falei capacidade? De quem mesmo?
Respeitem o magistério!!!

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

A Volta do Boêmio

Pois é... voltei, depois de longo jejum, falta de ideias, questões profissionais, pessoais ou qualquer outra desculpa dessas. Nada serve. Foi, de fato, total desorganização minha. Mas estou de volta, espero que consiga permanecer para todo o sempre, sendo que sempre não é todo dia, como diz a música de Osvaldo Montenegro.
Atualmente a situação é a seguinte: no esporte o Grêmio tenta se reerguer das cinzas, apesar de achar que Renato Portaluppi não é o cara espero que a coisa ande. Do outro lado nem farei referências. No campo político espero que as eleições, este ano, terminem no primeiro turno, uma vez que Tarso aqui e Dilma lá estão ampliando suas vantagens segundo as pesquisas. Tenho essa esperança pois estou, de fato, perplexo com os candidatos que se apresentam. Principalmente nos cargos de Deputados, normalmente são os mesmo e quando aparece uma novidade chega a ser cômico, um pena pois política é muito importante para se deixar estragar por essas figuras exóticas, para dizer o mínimo. Mas cabe a nós, porém sobra muito pouco ou quase nada para escolher.
Filhos e família... todos bem.


segunda-feira, 3 de maio de 2010

Enfim...

Enfim o Grêmio ganhou um título depois de alguns anos. Não estou muito satisfeito com o desempenho do time, que para mim, ainda tem algumas deficiências. Acho que o meio campo ainda não deu prova suficiente de confiança. O ataque... bom esse eu continuo achando que é irritante ver o Jonas jogar, mas sou voto vencido.
A única virtude que vejo no time do Grêmio é que o técnico Silas procura manter o esquema tático da equipe, é um acerto, prova disso é que o time, mesmo com todas as deficiências que apresenta consegue se superar, e mais ainda, superar alguns adversários.
Talvez os ventos soprem a nosso favor, pois estão acontecendo coisas alheias ao meio futebolístico. Contra o Fluminense o maior temor gremista, Fred, está fora. O Santos que, segundo dizem é um fenômeno, já perdeu para um modestíssimo Santo André. Enfim, já que time não é de muita confiança, que os ventos nos ajudem então.
Quanto ao Grenal de ontem, acho que não assisti ao mesmo jogo que os comentaristas.
O Internacional deu dois chutes a gol, logo no início do jogo, um deles resultou no gol (para mim, falha do Victor) e foi só.
O Grêmio deu por baixo cinco chutes que poderiam ter resultados em gol, não fosse a ruindade dos atacantes. O goleiro colorado defendeu porque foram na sua direção, no meu entender é um goleiro fraco para as pretensões vermelhas.
Comentaristas disseram que foi um jogo equilibrado... foi um jogo nervoso, mas equilibrado vai uma distância. Não ouvi o nome do goleiro gremista em toda a partida já o colorado. O Inter não entrou na área gremista. Não sei onde está o tão falado equilibrio.
Enfim, entre mortos e feridos o Grêmio foi campeão. (Uma flautinha) tudo está no seu lugar, graças a Deus!

sábado, 24 de abril de 2010

A.R e outras

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) faz propaganda convocando a sociedade para uma discussão muito séria sobre as punições, principalmente para primários jovens ou somente primários, não sei ao certo.
A propaganda mostra um bebê com no máximo 1 ano de idade no berço, chamado A.R. e conta que, na adolescência, ele terá más companhias e será pego furtando uma bolsa e pergunta se a prisão seria a melhor solução. A melhor solução sempre será a prevenção, mas isso não exclui que devemos ter poder coercitivo (escrevi certo?) para punir a transgressão e o crime. Não ajuda querer educar depois do crime ou delito cometido. Educação deve ser sempre na base. Se isto não foi feito resta pouco a não ser a punição, e esta não deve ser questionada e sim acatada e cumprida.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Tumulto na Lima e Silva, cine Guion sem a última sessão aos domingos, moradores reclamando, comerciantes reclamando... a educação não funcionou, venha a punição. E sem essa conversa de preconceito, homofobia, adolescenciofobia, emofobia, e outras fobias afora. A defesa agora é desvirtuar o problema levando para o lado do preconceito. Do jeito que vai vou cometer meus delitos e se vierem me punir direi que é preconceito contra os carecas, carecafobia da sociedade.

-----------------------------------------------------------------------------------------------

E amanhã, Domingo, tem Grenal!!

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Crack!!!

Já tem muitos anos que as drogas causam danos irreversíveis para a sociedade e para o indivíduo. Mas até a aparição do crack as drogas ficavam restritas às camadas mais altas da sociedade. Não é muito barato comprar cocaína e a própria maconha. A economia mundial mudou, os produtos tiveram que se adaptar ao mercado consumista mas sem dinheiro para comprar. Sim, isso mesmo, as coisas ficaram mais baratas, ou por outra, as condições para pagar os produtos ficaram melhores, do ponto de vista dos prazos. Não foi diferente com as drogas. E o crack esta aí para provar isso. Droga barata, comprada por qualquer um, por isso estamos diante de uma verdadeira epidemia do crack. Atingiu todas as camadas sociais, por isso este medo cada vez maior, pois com a cocaína e maconha, ou mesmo outras drogas não havia essa abrangência de usuários.
Mas mesmo com tudo isso, foi necessário que um órgão de expressão social (me refiro à RBS) tomasse a iniciativa de ampliar uma campanha contra essa droga para que as autoridades tomassem algumas providências e passassem a discutir o assunto com a profundidade que ele merece. Tenho minhas restrições com a empresa de comunicações mas é inegável o serviço prestado por ela à sociedade.
Disse que a RBS ampliou a campanha pois há muito tempo sei de pessoas e ONGs que atuam na luta contra as drogas. Muitas fazendas por esse nosso Rio Grande tem o firme propósito de tentar ajudar no tratamento de usuários. Muitos deles sem apoio nenhum, zero incentivo por parte do governo ou qualquer órgão oficial.
Até quando os governos passarão e fecharão os olhos para as mazelas da sociedade. Não adianta dizer que a sociedade tem que cumprir o seu papel e participar também da luta. A sociedade SEMPRE fez o seu papel, inclusive o de escolher os seus representantes para que fizessem valer o trabalho por ela feito.
Governantes, respeitem, ao menos uma vez, a sociedade e não se excluam das responsabilidades às quais vocês mesmos, por livre e espontânea vontade, juraram assumir.
Até quando dependeremos somente da força das pessoas, que no fim, acabam por exaurir suas forças diante da omissão do poder público?
Até quando?

sábado, 10 de abril de 2010

Rápidas

Não acho que esteja tudo errado no time do Grêmio, mas por quê inventar um meio campo que nunca jogou junto? E por quê colocar jogadores sem ritmo há mais de mês para jogar? Coisas que não consigo entender...
-------------------------------------------------------------------------------------------------

Yeda realmente vai se candidatar!!!
-------------------------------------------------------------------------------------------------

Entrem no jogo da mini fazenda do orkut, quem tiver, é divertido!!
-------------------------------------------------------------------------------------------------

A tragédia das chuvas no Rio de Janeiro: pouco adianta saber quem são os culpados agora, só nos resta lamentar as vidas perdidas e prestar toda solidariedade possível, principalmente espiritual, somente este tipo de conforto pode amenizar um pouco a dor das pessoas que perderam seus familiares na tragédia. Que Deus ilumine suas vidas!!!

terça-feira, 6 de abril de 2010

Até Quando?

No Rio de Janeiro há dois dias atrás houve um quebra-quebra em uma escola pública, decorrente de uma briga de alunos onde, posteriormente, a diretora acabou discutindo com outro aluno que teve sua mãe chamada na escola, a mãe foi até a escola com mais alguns "amigos" e depredaram a mesma e, de quebra(sem trocadilho) agrediram a diretora.
Numa manifestação, que até agora eu não entendi, uma teórica da educação disse que mais uma missão da escola é o ensino da convivência.
Convivência com o que? Com a violência? Até quando teremos que aguentar este tipo de coisa?
Eu entendo que os alunos são vítimas, que nasceram já à margem da sociedade, famílias sem estrutura e etc. Mas o que faremos então? Teremos que, simplesmente, justificar estas agressões, sem tomarmos nenhuma atitude?
As escolas tentam tomar algumas atitudes para diminuir esta disparidade social, mas não encontram respaldo em nenhum canto da sociedade. Os governantes não ajudam, os pais, pelo que se tem visto, não respeitam mais e, pior, passam este pensamento para seus filhos. Não entendo... o que pode ser mais importante que a educação para garantir um futuro para a criança?
Não quero que os alunos sejam múmias e não possam contestar atitudes autoritárias ou erradas dos professores, mas respeito sempre foi um imposição para se ter bons relacionamentos. Não respeitamos mais a figura do professor. É um qualquer. Não temos mais no professor a figura daquele que tem algo a dar para contribuir muito com o meu futuro. O professor virou um qualquer, mas esquecemos que , se somos alguma coisa, devemos ao professor e aos nosso pais que nos educaram. Nossos pais nos educaram e professores nos ensinaram. Onde foi que isso mudou?
Sem respeito não iremos muito mais adiante.

quarta-feira, 31 de março de 2010

Homofobia

Calma, calma!! Imagino o que estariam pensando muitos" mas o que isso?" ou " que cara preconceituoso!". Nada disso. O assunto refere-se a pecha imposta ao vencedor do Big Brother, o gaúcho Marcelo Dourado. "Homofóbico" gritaram alguns, nesses alguns eu me refiro aos jornalistas-colunistas, entre eles cito José Simão, que escreve para alguns jornais importantes do país, inclusive o Jornal do comércio. Mas pergunto: qual o problema?
Até onde sei fobia quer dizer medo, ou seja, imputaram a ele medo de homossexuais. No meu entender ele não tem medo, mas sim não esta acostumado a conviver com eles(homossexuais), e mais, fez questão de dizer que é heterossexual, e nunca disse que detestava, odiava ou queria a morte de todos os homossexuais. Botaram opiniões e pensamentos, na boca e na cabeça dele.
è o que costuma acontecer sempre que alguém emite seus sentimentos quanto ao que gosta, imputam logo que ele não gosta de outra coisa. sou gremista logo, odeio colorados, sou heterossexual, logo odeio homossexuais, sou branco, logo odeio negros. NÃO É O PENSO NEM O QUE SINTO, mas é o que gostam de dizer, pelo simples motivo que não simpatizaram com aquela pessoa.
Outra coisa é o politicamente correto que funciona só para um lado. Se alguém aparece com a camiseta onde está escrito: "Preto é legal" tudo certo, mas se ele aparece com uma camiseta escrito:"branco é legal" , pronto é racista! De novo NÃO É QUE PENSO NEM O QUE SINTO, apenas defendo o direito que as pessoas tem de expor suas opiniões, obviamente sem agressões nem desrespeito ou preconceito. Marcelo Dourado apenas disse que é heterossexual... só.
Em Londres, diversos cartazes de propaganda nos famosos onibus de dois andares com dizeres pregando orações para Deus entre outras coisas. Os ateus tiveram o mesmo direito de dizer o contrário mas nunca disseram que odeiam ou desrespeitaram Deus. Um bafafá sem tamanho.
Todos tem o mesmo direito de dar suas opiniões, sempre com respeito.
Em tempo: homofobia é um medo, o resto foi imputado por conta dos outros. E eu NÃO SOU HOMOFÓBICO.!

quinta-feira, 11 de março de 2010

Casa pelo telhado - parte 2

Leio uma reportagem de que o MEC(Ministério da educação) pretende apresentar projeto para alterar a forma seriada dos três primeiros anos de vida escolar da criança para uma espécie de ciclo. Explicando, para os que não são do ramo: hoje nas escolas públicas e privadas temos o que chamado de estrutura seriada, ou seja, por séries(1ª, 2ª, 3ª séries...) e elas apresentam objetivos a serem alcançados. Caso isto não ocorra, a criança é reprovada. No caso dos ciclos, a criança não é exatamente reprovada, ela segue o seu curso normal com ênfase nas suas dificuldades, "respeitando-se" o tempo de aprendizagem dela.
Sou professor do magistério público já tem 11 anos, trabalho com educação escolar há quase 20 anos, portanto acho que posso dar meu pitaco nesta questão.
Como me referi no texto abaixo, novamente o governo começa a construção da casa pelo telhado. Pouco importa se o nome que damos é série ou ciclo. as crianças menos favorecidas chegam até as escola públicas completamente defasadas em relação às do ensino privado, que, em tese, possuem mais condições financeiras e, principalmente, estabilidade familiar e emocional. Por conta desse passado estruturado as crianças apresentam infinitamente mais condições de aprender do que as do ensino público, e mais especificamente, das periferias brasileiras. O percentual de reprovação nos três primeiros anos do ensino, nos colégios particulares é baixíssimo. E não por que, como dizem muitos, os pais estão pagando, mas sim porque a família e a escola trabalham juntas em torno da criança.
Este é o ponto, falta estruturação das famílias das periferias brasileiras, este é o grande investimento a ser feito. Mas não venham me dizer que o bolsa- família é um investimento, incentivo ou coisa parecida. Este paternalismo governamental é que está acabando com tudo, efeitos estes já sentidos nas escola há um bom tempo.
Retomando: a criança entra na escola com seis anos, mas sequer passou por uma educação infantil de qualidade, as antigas creches. Não tem uma base de convivência social, ou seja não aprendeu sequer a ficar sentada em uma cadeira ou segurar um lápis para efetuar um desenho. Não tem uma alimentação condizente desde os primórdios de sua vida. è sabido que a desnutrição, e digo mais, a má nutrição são fatores que contribuem para que a criança não consiga aprender , captar e compreender o que está sendo passado pelos professores.
Diante disto, não importa se chamamos de repetência ou não, o fato é um só, a criança não vai aprender, pois não teve embasamento emocional e social por parte da família.
Digo e afirmo: 70% ou mais dos alunos que completam o ensino fundamental(1º grau para os mais antigos) não deveriam, sequer, estar na 5ª série, o que dirá frequentar o ensino médio.
Daí vem o ENEM, que não avalia absolutamente nada, e os empurra para a universidade, e se transformarão em profissionais sem nenhuma qualificação.
Para ilustrar essa defasagem das criança das favelas para as outras exemplifico usando meu filho: ele tem 3 anos e 10 meses e já reconhece o seu nome, o nome da irmã, e dos pais, e tem curiosidade em saber o que está escrito em cartazes e outras coisas. Muitas crianças da escola em que leciono com 9, 10 anos de idade, mal sabem reconhecer o seu próprio nome, alguns nem as cores reconhecem! Como eles irão competir com o meu filho? Essa crianças estão fadadas ao fracasso.
Como acabar com isso? Emprego para as famílias, leis rígidas para pais relapsos, e fim do bolsa-família, que transforma as família em meras fábricas de reprodução humana para abocanhar uns trocados, que muitas vezes, alimentarão o crime.
Simples assim? Claro que não, mas se ninguém começar... não vale dizer que as pessoas não fazem sua parte, centenas de ONGs patrocinadas por ilustres e desconhecidos estão aí, mas é pouco pois não abrange a grande parte da população. Os governo é que tem de estabelecer prioridades para a educação. Em 20 anos nosso país seria um potência mundial.

quarta-feira, 10 de março de 2010

A Casa pelo telhado

Algum tempo atrás, assisti um documentário sobre a engenharia japonesa e sua evolução. Os japoneses tiveram que aprender na marra a se adaptar ao seu terreno. O solo japonês é pouco produtivo em termos agrícolas,, muito montanhoso, vulcânico e, como se não bastasse, frequentemente treme a terra por lá.
Por causa destes fatores a engenharia japonesa evoluiu muito, a tal ponto que eles criaram umas espécies de amortecedores para os prédios poderem ter mais oscilação que o normal para evitar que ao máximo a queda. Outra máxima dos engenheiros da terra do sol nascente é iniciar a construção dos prédios pelo telhado e depois, literalmente subir o telhado com macacos hidráulicos, construir o último andar e assim por diante. fiquei estupefato com o maquinario envolvido e com os detalhados projetos para se concluir toda a função. E, obviamente, que funciona perfeitamente.
Nossa engenharia, ao que sei, não tem toda essa evolução, ainda bem, pois seria um sinal de que aqui os terremotos já teriam chegado.
Mas nossos políticos, leia-se governo brasileiro, parece que quer implantar o trabalho oriental... na educação. O governo investe muito para que os estudantes tenham acesso às universidades brasileiras. Oferece o ENEM, prouni, entre outros projetos para garantir que milhares de brasileiros tenham uma graduação.
Ao mesmo tempo tem pouco foco na educação de base, com isso falo da base mesmo: educação infantil e de 1ª à 4ª série. Este pedaço da vida estudantil do Brasil é que dará garantias reais de que a maioria da população ingressará nas universidades brasileiras, e sem qualquer paternalismo por parte do governo. Não adianta reforçarmos o fim da vida estudantil. Estamos formando, cada vez mais, péssimos profissionais em todas as áreas de . Pessoas com dificuldades de raciocínio, compreensão, praticamente analfabetos funcionais. As provas da OAB que o digam. Pouco mais de 30% passam nas nas provas da ordem. Médicos despreparados para atuarem, engenheiros sem nenhuma noção do estão fazendo e professores completamente ineficientes.
Assim como os japoneses, começamos a construir nossa casa pelo telhado, mas, ao contrário deles, nossa base não suportará a menor trepidação... já não está suportando.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Fidelidade

Não sei se já havia dito, se não disse vai agora: sou gremista, petista, simpatizante da Mocidade Independente de Padre Miguel, pronto está dito!
Nunca pensei , e não penso, em mudar nenhuma destas preferências. Mas não sou nenhum mentecapto! Sei dos problemas pelos quais passam essas instituições e agremiações, como também sei que o que deve mudar são as pessoas que gerem momentaneamente elas. Pois as pessoas passam e as instituições ficam, e é assim que sempre foi e sempre será.
No caso da Mocidade Independente, não sei o que acontece nem o que deve mudar, pois não conheço as entranhas da comunidade da Vila Víntem em Padre Miguel, sou apenas, como já disse um simpatizante, acompanho o carnaval carioca somente no dia do desfile.
No caso do Grêmio já existe uma relação mais uterina, sou da década de 70, uma época em que nosso inimigo da Padre Cacique ganhava tudo que tinha pela frente, ou seja, sou gremista porque está no meu DNA. Já dei minha opinião sobre o atual time. Mas sempre fica a torcida para que mude para melhor. Quando caímos para a segundona, nenhum gremista pensou em mudar de clube mas sim mudar o clube para que voltasse a ganhar seus tão sonhados títulos e etc. Isto é que deve ser feito.
Não é por que está acontecendo, já há muito tempo, no PT. Não oxigena, não deixa ninguém surgir. Desde que me conheço por petista, e lá se vão 25 anos, o partido apresenta para as eleições majoritárias sempre os mesmos nomes, aqui, em São Paulo, no Rio. Fica difícil. Tarso Genro volta para tentar realizar um sonho pessoal de ser governador e quem sabe, posteriormente, Presidência da República. O PT parece não querer que seus integrantes subam os degraus da política para ter mais alternativas. Não toma as devidas atitudes com seus integrante como deveria ter tomado de fato. Meu presidente começa a falar o quer e que bem entende a respeito de qualquer assunto. Sei que ele precisa de alianças políticas, mas está ficando demais. Dilma Roussef não é uma candidata a altura do cargo e nem do partido. Não chego a compartilhar das opiniões deselegantes de FHC, mas ainda acho que o partido deveria ter trabalhado outros nomes ao longo desses anos todos. Nunca o PT teve outro nome para a presidência que não Lula. Não tivemos outros nomes para governador do estado que saísse do binômio Olívio-Tarso. Outros apareceram, será que ninguém tem perfil para o executivo? Todos querem apenas ser do legislativo? Henrique Fontana, Ivar Pavan, Maria do Rosário(que perdeu seu tempo para candidatura, deveria ter sido a passada), Miguel Rosseto, o próprio Marcos Rolim, que parece, saiu do Partido aderindo a candidatura de Marina Silva, se isto realmente aconteceu uma perda lamentável para o partido. Onde estão os nomes do PT?
Enquanto isso continuamos vendo os mandos e desmandos de José Dirceu que volta e meia tem sem nome na imprensa envolvido em escândalos. Será que sempre é um plano para desestabilizar o governo? Mas ele está fora das decisões governamentais há um bom tempo! E José Genuíno que simplesmente sumiu. Mas continua com representação. Sempre os mesmos nomes.
O Partido tem que rever sua diretrizes, pois corre sério risco de perder a grandeza que conquistou junto as classes trabalhadoras. Como aconteceu com muitos partidos.
E agora me ocorre a pergunta: o PT cresceu ou os outros partidos diminuíram?
Mas continuo minha luta velada para mudar a estrutura das minhas preferências, para nesse caso, não mudar de preferências.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Licença Paternidade

Vai entrar na pauta de votação da Câmara dos Deputados e posteriormente do Senado federal o projeto de lei que prevê o aumento do período de licença maternidade, de 4 para 6 meses. Nada mais justo, afinal, se o próprio Ministério da Saúde orienta que os recém nascidos devem ser alimentados exclusivamente pelo leite materno por seis meses, como é que a licença pode ser apenas de quatro meses? E mais, após esse período deve-se introduzir, aos poucos, outros tipos de alimento. Quem fará isso? A babá? A professora da escola? Claro que deve ser a mãe. Mas como, se o período de licença acabou? Enfim espero que esse projeto seja aprovado para dar-se continuidade aos melhores cuidados possíveis para os pequenos.
Mas o título desse texto é "Licença Paternidade" e, até agora, só falei da parte oposta.
Sempre que vejo este assunto,faço a mesma pergunta: mas e o pai?
Sempre falamos que o bebê merece todos os cuidados, vínculo materno é importante, o ato de amamentar é divino, etc, mas e o pai?
A licença maternidade é QUATRO MESES, podendo ser aumentada para SEIS MESES, já a licença paternidade é OITO DIAS CORRIDOS a contar do dia de nascimento da criança. Quer dizer que presença do pai na criação da criança não conta nada?
Sei o que pensarão muitos, sempre me dizem isso quando levanto o assunto," tu quer é ficar vagabundeando em casa!", realmente se o pai é um inútil,. que não pensa na importância de sua presença junto ao seu filho, ele ficará sem fazer coisa alguma.
Quem é pai de verdade sabe do que estou falando. A mulher não faz outra coisa senão amamentar. A amamentação cansa a mulher, ela não dorme direito pois o intervalo entre uma mamada e outra raramente atinge as famosas três horas.
O tempo de duração da amamentação é variável mas, para a criança ficar bem alimentada e aumentar o intervalo para a próxima refeição, no mínimo meia hora de aleitamento. Olheiras, pratos sujos, casa bagunçada, sem falar que o pai acaba acompanhando a mãe na jornada noturna e depois, na manhã seguinte tem que voltar ao trabalho. Essa situação, não raras vezes, provocam discussões entre o casal, que, se não estiver bem preparado, pode trazer consequências mais sérias no futuro, principalmente para a criança.
Todas essas condições me fizeram pensar no tempo de licença paternidade que, repito é de OITO DIAS, ou seja não serve pra nada.
Sou defensor de uma licença paternidade equivalente a metade do tempo da licença materna, ou seja, se for de quatro meses a materna, a paterna será de dois meses e assim vai.
Entendo que esse tempo é suficiente para que o casal coloque em ordem sua rotina que altera-se bruscamente com a chegada do novo hóspede. Se faz necessário um tempo para todos os envolvidos se acomodarem. O objetivo maior é a estabilidade familiar.
Essa estabilidade familiar, com toda a certeza, se refletirá no restante. As pessoas trabalham melhor, mais seguras de que seu filho foi bem atendido no momento certo e adequado. Não haverá interrupções repentinas, nem telefonemas desesperados.
Uma família estável e feliz é sinônimo de uma sociedade estável e produtiva. A família é a célu... bom este já é outro assunto.
Licença Paternidade equivalente a metade da materna, parece fórmula de báskara. E falo com conhecimento de causa, pois sou pai de duas crianças.
Pense nisso e engrosse essa fileira!!!

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Obesidade

Vi uma reportagem em que diz que um estudo sobre obesidade feito com cerca de 55.000 pessoas, que foram acompanhadas desde a infância, chegou a conclusão de que os obesos tiveram 2 vezes mais chance de morrer por problemas cardíacos, entre outros tantos problemas de saúde relatados no estudo. Esta pesquisa foi aproveitada pelo governo americano para desencadear uma campanha contra a obesidade infantil, um problema sério que assola o povo americano. A campanha visa estimular as aulas de Educação Física nas escolas e reformular a alimentação das cantinas escolares, bem como a conscientização dos pais de que a alimentação dominante hoje(frituras, gorduras saturadas, condimentos , etc.) deve ser alterada até, no máximo, os dois anos de idade da criança.
Não que essa pesquisa tenha vindo tarde, não é isso, mas problemas de saúde e morte provocados pela obesidade, má alimentação, não são novidades nem nos EUA e nem por aqui. Chega de pesquisas!! Queremos ações verdadeiras. O governo brasileiro deve criar uma campanha maciça de conscientização de que devemos nos alimentar melhor e nos exercitarmos mais e de forma adequada. Não adianta as revistas mostrarem exercícios e dietas milagrosas com o intuito de termos um corpo sarado e com barriga tanquinho. O que devemos entender é que exercício e alimentação saudável são questão de saúde e não simplesmente de estética.
Campanhas médicas dizem para não tomarmos remédios sem a orientação e prescrição deles, pois bem, exercícios também não devem ser feitos de qualquer forma . Procure um profissional da Educação Física. Ele sim é o profissional que lhe dirá o que e como fazer para melhorar sua saúde. Digo mais, não precisa procurar um médico para que ele lhe indique exercícios. Vá direto ao Educador Físico. Depois faça um check up com seu médico se for o caso. Exercícios leves e gradativos, qualquer um pode fazer, desde que respeitada as condições individuais e o ritmo de cada pessoa.
Enfim, a obesidade infantil assola os estadudinenses e e com certeza, no ritmo em que nos encontramos, logo, logo chegará até nós.
Vamos nos mexer antes que isto aconteça. Como diz o slogan da campanha liderada pela primeira dama americana " Let's Move"! Vamos nos mexer!!!

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Finalmente!!!

Finalmente!! Alguém na justiça deste país tomou decisão de fato contra um político. José Roberto Arruda ,Governador do Distrito Federal, foi preso ontem por decisão do STJ. Sei que não deve durar muito e que talvez, isto tenha sido apenas para acalmar alguns ânimos, mas pelo menos, foi uma atitude que serviu aos olhos do povo. E também tem o seguinte, sempre reclamamos quando a justiça não faz alguma coisa, então vamos louvar quando ela toma as atitudes corretas, do ponto de vista da justiça popular. Não entendo de leis, sei apenas que existe o que é legal e o que é justo!
Arruda vinha zombando da justiça brasileira e de toda a nação, aliás como já fizera alguns anos atrás como senador ou deputado federal. Só que naquela época tinha o toninho malvadeza para ajudar, agora não tem mais.
É somente isso que esperamos da justiça deste país, agilidade nas decisões quando realmente elas pedem esta atitude, infelizmente decisões judiciais sempre tem de ser ágeis, a despeito de todo o aparato de argumento jurídicos e recursos que a lei disponibiliza. Mas isso também vai mudar. Nosso país ainda é uma criança em comparação ao mundo. Acredito que estamos entrando no caminho certo.


------------------------------------------------------------------------------------------------

Finalmente perceberam que o time do Grêmio é fraco!! Não temos zagueiros que prestem, exceção feita ao coitado do Mario Fernandes, que esta sempre sem fôlego na metade do segundo tempo, pois tem que correr por três ou quatro da defesa, não tem meio campo marcador em nem articulador, não tem laterais e não tem atacantes, pois na única vez que jogamos contra um time grande não marcamos gol e os atacantes foram completamente anulados. Mas acho que tirando isso o resto do time está bem...
Ah, ia me esquecendo... não temos técnico também, mas tirando isso...

------------------------------------------------------------------------------------------------

Finalmente chegou o carnaval, a maior festa popular do mundo! Não sou chegado aos bailes de carnaval nem de pular o cujo dito, mas gosto da animação das pessoas das matérias jornalísticas sobre como se recuperar da ressaca, que todo o ano tem, e por aí vai. Que todos nós possamos aproveitar ao máximo este período de festa, cada um a sua maneira, e que todos possam retornar vivos para suas casas e famílias para podermos continuar as nossas batalhas diárias que é o que torna a vida bela, sem objetivos a alcançar ela se torna muito chata. Bom carnaval a todos!! E viva a Mocidade Independente de Padre Miguel!!!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Litoral

Ouço o programa do Lauro Quadros( por mais nomes de programas que tenham passado por ali, não adianta, é sempre o programa do Lauro) e o assunto em pauta é o nosso litoral, se acham ele feio ou se não damos o devido valor a ele.
Entendo que o nosso litoral, fisicamente falando, é feio, não há atrativos naturais para podermos dizer algo de bom sobre ele. A única que está fora de questão é Torres, que me parece que as autoridades estão fazendo todo o possível para estragá-la juntamente com a falta de educação dos veranistas.
Este é o ponto: a falta de educação dos veranistas juntamente com a famosa falta de interesse do poder público. Não há regras de publicidade, não há uma padronização estética dos quiosques e materiais da prefeitura, não há vegetação plantada nas ruas, eventos culturais são feitos "à moda miguelão". Nosso veranistas não fazem questão cuidar de sua orla, cachorros que mais parecem cavalos pelo seu tamanho são vistos aos borbotões defecando nas areias sem guia e quando reclamamos ainda temos que ouvir a famosa frase"ele nunca mordeu ninguém, ele é mansinho", nos levantamos da esteira(ainda existe?) e sacudimos espalhando areia para todos os outros em sua volta. Espigas de milho, cheiro de peixe podre, bonés atirados sobre as cabeças, etc, etc, etc.
Educação e organização são a chave para a famosa "glamourização" do litoral. Sou a favor.
Por outro lado tem a questão infantil do litoral. Quem não tem boas lembranças da infância nas praias gaúchas? Do tempo em que se passava de Dezembro à Março na praia, lembram-se?
Será que o litoral sempre foi assim? Ou nas nossas recordações pueris nada disso acontecia?
Será que "Filtro Solar" estava certo? Ou por não podermos mais passar todo o verão na praia sem preocupações nos fazem desdenhar o litoral?
Mas que ele é feio é!

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Parto

A notícia do momento no mundo das personalidades é o parto que a Gisele Bündchen fez na sua casa dentro de uma banheira sem anestesia e, segundo ela, praticamente sem sentir dor. Prim eiramente meus parabéns para ela, sempre fui adepto do parto. Vejam bem, falo parto e não cesárea: parto é sempre natural, não existe parto cesárea, se foi cesárea é CIRURGIA, de alto risco por sinal, apesar da tecnologia avançada de hoje. Voltando para a Gisele, ela disse que quase não sentiu dor. Isso é o normal. Sei o que vão dizer algumas mulheres, "tu não é mulher e não sabe o que é sentir a dor de ter filho".
Não acredito que Deus fizesse este ato que é sublime e divino tão horrendo assim. Não se ofendam mulheres, mas já assisti alguns animais darem a luz e não me recordo de eles terem berrado, ganido, mugido ou algo parecido. Não considero a raça humana acima da natureza e sim parte dela. Sempre nos referimos à natureza como se nós não tivéssemos nada com isso.
Gisele parece que partilha da mesma opinião que eu. Um parto desses é o mais natural possível, sem anestesia, a criança escolheu o dia para nascer, significa que estava pronta com o trato respiratório, digestivo, pronto para vir ao mundo.
Benjamin, nome dado ao filho dela, com certeza não terá problemas com rinite, asma, não terá cólicas, terror noturno dos casais de primeira viagem.
A recuperação da Gisele foi imediata, apenas o tempo de descansar das contrações e o organismo poder se assentar e isso não supera mais do que oito horas, um pouco mais ou pouco menos, dependendo da pessoa. acima de tudo Gisele respeitou seu filho desde o primeiro momento. Ele escolheu o dia para vir e ela participou ativamente, não se furtou ao seu direito de ser mãe por completo.
Quando eu e minha mulher falamos em parto, isso foi a três anos atrás, quase fomos atirados na fogueira da inquisição.
Enfim, viva ao parto, vamos nos respeitar como parte da natureza, não estamos acima dela.
Parabéns Gisele, que seu exemplo seja levado adiante, escutamos tantas bobagens que celebridades falam por aí e damos eco, então vamos ecoar este seu ato lindo de estar consciente para trazer seu filho ao mundo. Respeito as opiniões contrárias mas o nome já diz: parto normal, o resto é anormal!

domingo, 31 de janeiro de 2010

Curtas

Extremamente abafante o calor no estado. Como nós portoalegrenses falamos " o pior não é o calor, é o mormaço", tá realmente demais. Meu suor é daqueles que não escorre pelo corpo, fica apenas grudado na pele. Quatro a cinco banhos por dia é o mínimo. quem mandou não ter um ar condicionado?

-------------------------------------------------------------------------------------------------
Estou curioso para ler o novo livro do Dan Brown " O símbolo Perdido", dos seus li apenas "O Código Da Vinci" muito bom por sua narrativa empolgante apesar de seus devaneios, mas mostra uma imaginação excelente, foi um livro que li "numa sentada". a Maçonaria, assunto central do livro sempre me chamou a atenção. Vamos ver que desconfiança e envolvimento com as sombrias tradições que habitam o imaginário popular, Dan Brown criará. Aliás nessa férias não consegui colocar a leitura em dia, estou em falta comigo neste item.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Enquanto isto o Grêmio perde mais um Grenal. Um time apático, Silas se preocupou mais em defender. O ataque ainda não tem entrosamento, é irritante ver o Jonas jogar, ele trata a bola de Vossa Majestade, não tem intimidade nenhuma. Ainda não temos laterais e falta alguém para ajudar na marcação do meio campo. Mais um gauchão perdido e com poucas perspectivas na Copa do Brasil.
E o Internacional também não apresentou grandes novidades e tampouco um time que impressionasse, depois de aplicar 5 x0 num Juventude que está aos pedaços desde que caiu para a terceira divisão do brasileiro ano passado. Não fez mais que a obrigação, dirão alguns, mas para o nível do gauchão teria que ser goleada em praticamente todos, inclusive no Grêmio. Para uma Libertadores está faltando muito ainda.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

É a idade...

Estamos aqui novamente, 2010 chegou, ainda não estamos voando em naves espaciais nem nada do tipo. Não sei se isso é frustrante ou calmante mas, o fato é que a humanidade segue seu rumo. Nesse rumo a televisão e o rádio ofertam os mais variados tipos de programas que se pode querer. Na maioria iguais, parece que nem mudamos de canal. A apresentadora é loira, depois fica morena, virou homem, careca, mas o programa não mudou. Não que não tenham algum conteúdo mas a repetição torna-se irritante.
Dentro desses programas, o rádio merece um capítulo especial. Antes de mais nada, sou fã do rádio, estou na idade de escutar somente notícias. O rádio é especial, está sempre em cima do acontecimento e não interfere na vida das pessoas, ninguém precisa parar o que está fazendo para ouvir a novidade. você está lavando louça e daqui a pouco se pergunta"quem que morreu?" e basta aguçar o ouvido. E é aí que está o ponto! Alguns programas de rádio, simplesmente não consigo ouvir o que eles falam! Aquele pretinho básico é um desse. Um bando de quarentões gritando como adolescentes e sem respirar! Uma música insuportável de fundo que não dá trégua! Sem falar na "encenação" das piadas. ficando velho mesmo!!